Animação como recurso didático no ensino da química: capacitando futuros professores

  • Auxiliadora Cristina Correa Barata Lopes Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Amazonas - IFAM
  • Edson Valente Chaves Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Amazonas - IFAM
Palavras-chave: Animação. Ensino. Química. Tecnologia.

Resumo

Este trabalho é um recorte da Dissertação “O uso de animações computacionais na formação inicial de professores: uma alternativa para melhoria do ensino de química”. O objetivo deste Relato de Experiência é apresentar a capacitação de licenciandos de química, que participam do Projeto Uirapuru, pelo Programa Institucional de Bolsa de Iniciação à Docência (PIBID), no âmbito do Instituto Federal de Educação do Amazonas (IFAM), na construção de animações no software Power Point. Durante a oficina, os licenciandos manipularam ferramentas do software, construíram vidrarias do laboratório e executaram efeitos construindo animações voltadas ao ensino de química. Constatou-se que 100% dos licenciandos acreditam que as animações criadas podem ser utilizadas como recurso ao ensino de química e inferiram que utilizariam este recurso em suas aulas. Conclui-se que o desenvolvimento das animações contribui positivamente na formação docente dos que constroem/utilizam o recurso e colabora na construção de conceitos químicos pelos alunos, gerando uma aprendizagem significativa.

Biografia do Autor

Auxiliadora Cristina Correa Barata Lopes, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Amazonas - IFAM
Mestre em Ensino Tecnológico pelo Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Amazonas, Especialista em Metodologia do Ensino de Biologia e Química pelo Centro Universitário Internacional UNINTER, Graduada em Química Licenciatura pela Universidade Estadual do Maranhão e Graduada do Curso de Tecnologia em Alimentos do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Maranhão. E investiga sobre metodologias e recursos tecnológicos para o ensino da química.
Edson Valente Chaves, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Amazonas - IFAM
Possui graduação em Química pela Universidade Federal do Amazonas (1995), mestrado em Química pela Universidade Federal do Amazonas (2001) e doutorado em Biotecnologia pela Universidade Federal do Amazonas (2008). Atualmente é professor titular do INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO AMAZONAS, atua nos cursos de Graduação de Licenciatura em Química, Tecnologia de Alimentos e Tecnologia de Processos Químicos e de Pós Graduação no Mestrado Profissional de Ensino Tecnológico. 

Referências

ANTONIO JÚNIOR, W.; BARROS, D. M. V. Objetos de aprendizagem virtuais: material didático para a educação básica. In: CONGRESSO INTERNACIONAL DE EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA, 12., 2005, Florianópolis. Anais... Florianópolis: ABED, 2005.

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria da Educação Média e Tecnológica. PCN + Ensino Médio: Orientações Educacionais complementares aos Parâmetros Curriculares Nacionais - Ciências da Natureza, Matemática e suas Tecnologias. Brasília: MEC, 2002.

DAVIES, C. H. J. Student engagement with simulations: a case study. Computers & Education, v. 39, n.3, p. 271-282. 2002.

HECKLER, V.; SARAIVA, M. F. O.; OLIVEIRA FILHO, K. S. Uso de simuladores, imagens e animações como ferramentas auxiliares no ensino/aprendizagem de óptica. Revista Brasileira de Ensino de Física, v. 29, n. 2, p. 267-273, 2007.

LEVY, P. Cibercultura. São Paulo: Editora 34, 1999.

LIMA FILHO, F. S.; CUNHA, F. P.; CARVALHO, F. S.; SOARES, M. F. C. A importância do uso de recursos didáticos alternativos no ensino de química: uma abordagem sobre novas metodologias. Enciclopédia Biosfera, Goiânia, v. 7, n. 12, out. 2011.

MATHIAS, G. N.; BISPO, M. L. P.; AMARAL, C. L. C. Uso de tecnologias de informação e comunicação no ensino de química no ensino médio. In: ENPEC - ENCONTRO NACIONAL DE PESQUISA EM EDUCAÇÃO EM CIÊNCIAS, 7., 2009, Florianópolis. Anais... Florianópolis: UFSC, 2009.

NASCIMENTO, J. M.; OLIVEIRA, J. L.; LOURENÇO, E. B.; RODRIGUES, G. O. Animações stop motion: uma ferramenta midiática no ensino de biologia. In: ENID –ENCONTRO DE INICIAÇÃO À DOCÊNCIA DA UEPB, 4., 2014, Paraíba. Anais... Paraíba: UEPB, 2014.

NISHITANI, A. T. N.; BELLOTTO, V. A. P. C. Microsoft e seu Monopólio do mercado de software. São Paulo: USP, 2010.

PANUCCI-FILHO, L.; SANTOS, C. A.; ALMEIDA, L. B. Vantagens e desvantagens sobre a aprendizagem percebidas pelos alunos de graduação do ensino presencial mediado com o powerpoint™: um estudo exploratório. Revista Iberoamericana sobre Calidad, Eficacia y Cambio en Educación, v. 9, n. 3, p. 94-122, ago. 2011.

POSSO, A. S. A produção de significados em um ambiente virtual de aprendizagem: utilizando a teoria da ação mediada para caracterizar a significação dos conceitos relacionados à solubilidade dos materiais. 2010. 183 f. Dissertação (Mestrado em Educação) - Faculdade de Educação da Universidade de São Paulo, São Paulo, 2010.

SANTOS, G. H.; ALVES, L.; MORET, M. A. Modellus: Animações Interativas mediando a Aprendizagem Significativa dos Conceitos de Física no Ensino Médio. Revista Sitientibus, v. 2, p. 56-67. 2006.

SOUZA, C. E.; GAVINA, M. A. Geometria com animações interativas. Revista Novas Tecnologias na Educação. v. 7, n. 1, p.1-9, jul. 2009.

TEIXEIRA, A. C.; BRANDÃO, E. J. R. Software educacional: o difícil começo. Ciclo de Palestras sobre Novas Tecnologias na Educação. Porto Alegre: UFRGS, 2003.

Publicado
2018-06-01
Como Citar
Lopes, A., & Chaves, E. (2018). Animação como recurso didático no ensino da química: capacitando futuros professores. Revista De Estudos E Pesquisas Sobre Ensino Tecnológico (EDUCITEC), 4(07). https://doi.org/10.31417/educitec.v4i07.256